terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Pra acabar DE VEZ com o mito Gravidez x Gatos x Toxoplasmose e outros...

Certa Feita a Paula, uma voluntária do AUG, se predispôs a responder a um e-mail de uma recém mamãe cheia de dúvidas em relação a Toxoplasmose, adaptação da gatinha dela ao bebê e vice-versa, opinião da família, depressão da gatinha após o parto e outras caraminholas que pessoas com preconceito e pouco conhecimento no assunto estavam colocando na cabecinha dela.

Não vou mudar uma palavra. Vou postar tal e qual a Paula escreveu para a moça, porque ela não poderia ter sido mais amorosa, didática, correta e humana nesta resposta.

Palmas para a Paula, que faz isso na esperança de trazer luz para as mamães desesperadas que se consultam com médicos equivocados e estão cercadas de pessoas igualmente equivocadas. 

Tem muito médico - e não médico metido a sabetudo - por aí que não tem nem ideia do que fala e acaba alimentando preconceitos e prejudicando tantos gatinhos, que perdem seus espaços para os bebês porque algumas mamães compram as conversinhas.

Quem quiser tirar mais alguma dúvida com a Paula, aliás, manda um e-mail para o avidacomgatos@gmail.com ou deixa um comentário aqui!

Conheçam a Paula, ainda com a bebê Pilar na barriga:


"Oi!


Tudo bem?

Tenho tantas coisas para dividir com vc, que nem sei por onde começar! Rsss

Acho importante explicar que essa questão de gatos e toxoplasmose não é nada do que pintam... Para se contrair a doença de um gato, ele precisa estar contaminado e vc precisa limpar as fezes dele - expostas há mais de 72 horas - com as mãos e depois colocá-las na boca, ou seja, praticamente impossível. Além disso, o gato só se contamina uma vez na vida e elimina o bichinho por cerca de 10 dias nas fezes. Depois disso fica imune e não contamina mais ninguém. Em outras palavras, se o exame da sua gata desse positivo e ela estivesse com vc há mais de um mês, ela não iria mais transmitir nada...

Prova disso é que eu tenho 10 gatos em casa, cuidei de centenas deles no abrigo, resgatei vários, mesmo grávida, e meus exames continuam negativos. Resgatei uma gatinha de 10 dias no último mês de gravidez e a criei na mamadeira, de 3 em 3 horas, mesmo com o barrigão, durante madrugadas a fio e nada aconteceu.

Fui muito, muito, muito criticada por causa disso e essa é a segunda coisa que eu gostaria de lhe falar. Todos sempre terão um palpite, uma dica, uma opinião sobre a sua vida. Com filhos, isso só piora. Minha mãe sempre reclama que a roupa da minha filha é muito quente/fria, que a fralda está apertada, que eu deveria fazer x ou y, enfim... todos querem controlar como vc irá agir.

Nesses três meses como mãe, aprendi que impor limites é fundamental. Minha família não aprova minha filha no meio de tantos bichos (são 15!), mas aprendeu a respeitar meu espaço. É a MINHA casa, a MINHA filha, os MEUS bichos. Eu jamais tiro a Pilar de perto deles, para agradar quem quer que seja. Se vc abrir espaço agora, será um caminho sem volta...

A notícia boa é que depois de algumas briguinhas as pessoas entendem e aprendem a respeitar. Meu pai, que é quem mais se incomoda com essas coisas, hoje fica quieto. Ele vem nos visitar e fica no sofá, com a neta e os gatos, porque entendeu que aqui funciona assim e ponto final.

Acredito que na sua casa será infinitamente mais simples do que na minha, porque um bichinho só é muito mais razoável do que 15, né?! Rs

Provavelmente sua gatinha ficará sentida no começo, especialmente por ter sido isolada e "rejeitada" pelas pessoas. Ela poderá ver sua filha como uma ameaça, exatamente como o irmão mais velho sente, quando o caçula nasce. Pode acontecer dela fazer xixi nas coisas da bebê ou ficar irritada. É normal. Nada que amor e paciência não resolvam.

A gatinha bebê que eu mencionei acima sentiu muito a chegada da Pilar. Ela acha que sou mãe dela e ficou muito enciumada por dividir a atenção. Mas com o tempo foi aceitando e hoje as duas são inseparáveis. Eu amamento com a Paçoca deitada nos pés da Pi.

O mais importante de tudo é vc dar MUITO amor e atenção para a gatinha, para que ela veja que não foi substituída, que ainda há espaço para ela. E também não recomendo restringir o acesso dela aos cômodos da casa. Claro que vc não deve deixar as duas sozinhas, mas não há problema algum em deixá-las juntas durante o dia e só separar na hora de dormir.

Meu pediatra é super renomado e foi o primeiro a dizer que essa convivência é bastante saudável. Existem diversos estudos que comprovam que crianças cercadas de animais são menos propensas a desenvolver alergias e têm a imunidade melhor. A Pilar nunca deu um espirro sequer, até hoje, por ex.

Por fim, encaminho algumas fotos  da minha filhota com a bicharada, para vc ver como eles se amam e ficam bem juntos.

Espero sinceramente que as coisas se acertem e que vc consiga conciliar tudo. Se precisar de dicas ou tiver dúvidas, estou à disposição. O mais importante é agir naturalmente, deixar sua gatinha chegar perto da bebê sem medo (mas sempre com supervisão) e manter vacinas e vermífugos das duas em dia.
Beijos!
Paula"

Agora morram de fofura com as fotos que ela faz da bebê com os gatinhos e cachorrinhos da família!














A Pilar é uma bebê de muita sorte. Filha de gateira mega do bem e só vai conhecer a vida cercada destes seres que a gente taaaaaaanto ama!



11 comentários:

  1. Em casa eu também quero que seja bem assim!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu fiquei tão encantada com as fotos que não consigo parar de admirá-las!!! A Paula, a Pilar e a bicharada são maravilhosos! Eu trouxe a minha gata Rutha para casa quando meus filhos tinham 4 e 9 anos, ela viveu 15 anos conosco e acompanhou o crescimento deles, tenho certeza que ela fez uma diferença muito grande trazendo muito amor e carinho aos dois. Agora a minha gatinha Pink tem 13 anos e ainda sofre com os abraços da Júlia de 19 anos (mas ama os abraços do Felipe de 23)!
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
  3. Ai gente, as pessoas que não gostam de animais (em geral) não admitem que existam pessoas que gostam e muito. Quando eu tinha apenas 3 gatos, minha tia disse que era perigoso ter mtos gatos (rs) porque eu poderia ficar cega (cada uma). Numa feira de automovel esse ano, conversando com uma mulher que tinha levado um cachorrinho super fofo, ela disse que um conhecido dela tinha levado um arranhão no braço, e de um gato. E o tal braço inchou demais. Ele foi ao médico e o médico disse que tem veneno nas unhas dos felinos, isso mesmo que ela disse. Eu não discuto com esse povo, porque é perda de tempo em uma conversa vc tentar tirar toda ignorancia e preconceito de uma pessoa. Mas enfim, são historias ridiculas. Tenho 10 gatos, amo todos, e quem quiser vir a minha casa, tem que respeitar pq aki é a casa deles. Humpf!
    Haja paciencia!
    Beijo
    Ah! Amei esse post, ele tem que ser super divulgado.

    abelezaeonossovicio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Que isso!! Que coisa mais linda!! Eu não sei escolher qual foto ficou mais fofa!! Um amor!!! Os gatinhos parecem adorar a Pilar sempre juntinho com ela, e o que é mais fofo: tem um filhotinho de gato também!! Ou seja, dois nenéns!!! Ai, tô vomitando muito arco-íris!!!

    Esse texto que a Paula escreveu deveria estar em várias mídias de grande circulação!! Precisamos acabar de vez com o mito de que gatos e crianças não combinam! E eu gostaria que todos vissem como a Pilar se tornará uma adorável garotinha que respeita animais e pessoas, um pequenino exemplo para a humanidade!! A Paula está de parabéns por não deixar que as opiniões alheias influenciassem a sua vida!! Gosto de pessoas de atitude como ela!!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. Puxa, gente... Como agradecer tanto carinho comigo e com meus filhotes? Obrigada! <3

    ResponderExcluir
  6. Oi, May! Amo seu blog!! Li tudinho dele! Como sou apaixonada pelos peludinhos há pouco tempo, posts como esse me ajudam a me desfazer de lendas que tanto nos incutem ao longo da vida! Obrigada!
    Ariana
    (www.caixadegatos.wordpress.com)

    ResponderExcluir
  7. Amei! Quero muito qe aqui em casa seja assim!

    ResponderExcluir
  8. Lindo demais esse artigo!! Lindas as fotos!
    Acabei ver uma postagem no facebook de uma pessoa que esta gravida e quer se desfazer de suas duas gatinhas.Estou explicando e tentando mostrar a essa pessoa que o bebê dela nao corre nenhum risco.Que ela nao precisa abandonar dois gatos que deveriam fazer parte da familia e vao sofrer muito com a separação.Seu blog foi um dos links que enviei a ela.Espero que ela mude de idéia.Parabéns pela linda matéria!!

    ResponderExcluir
  9. Coloquei o link do seu blog no meu blog de ajuda animal.

    ResponderExcluir
  10. Minha amiga, que coisa mais linda, parabéns pelo blog. Eu também sou uma mamãe gateira e treinante, kkkkkkkkk, já estou te seguindo, um super abraço!!!

    ResponderExcluir
  11. Nossa que coisa mais LINDA, to apaixonada e feliz em saber que não faz mal! eu tenho um gato aqui em casa que tratamos como um filho e estou gravida e ele ja deita a cabeça na minha barriga e meu pai ficou preocupado. Mas vou mostrar essas fotos pra ele, quero muito que meu bebe goste de gato e tenha um convivência saudavel!

    ResponderExcluir